ESCRITOS DO GABRIEL

(Tentar que nossas palavras sejam, através de nós ou, quiçá, apesar de nós.
Meus textos, meus rascunhos com erros... )



"Então, um dia comecei a escrever, sem saber que estava me escravizando para o resto da vida a um senhor nobre, mas impiedoso. Quando Deus nos dá um dom, também dá um chicote – e esse chicote se destina exclusivamente à nossa autoflagelação."

Introdução do livro Música para Camaleões, de Truman Capote.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Vozes quebradas

A gravidade,
que tudo deixa cair,
distrai e esconde
o que não escolhe calar,
o que não sabe pousar
e não suporta mais seu peso.
Então se desprende
e desaba.
Daí o ruído de quebradas vozes.
Ignoro as coisas quando dizem
que não falam,
o que emudece porque não cai,
por esquecido horror mudo,
de invisível trancado,
continuo, empoeirado,
que ficam sempre
em pé, detidas, onde esteve a vida,
em previsíveis lugares comuns.

3 comentários:

Camila F. disse...

Gabriel!

desejo a você um 2012 cheio de coisas boas. e de muita poesia :-)
beijo

Gabriel Gómez disse...

Bom te ver por aqui Camila!
Muita poesia e inspiração também para este novo ano, cheio de oportunidades.
Beijo!

Anônimo disse...

Feliz ano novo!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails