ESCRITOS DO GABRIEL

(Tentar que nossas palavras sejam, através de nós ou, quiçá, apesar de nós.
Meus textos, meus rascunhos com erros... )



"Então, um dia comecei a escrever, sem saber que estava me escravizando para o resto da vida a um senhor nobre, mas impiedoso. Quando Deus nos dá um dom, também dá um chicote – e esse chicote se destina exclusivamente à nossa autoflagelação."

Introdução do livro Música para Camaleões, de Truman Capote.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Sol


Qual sol alvejante
consegue arrancar as palavras
mortas, afogadas no travesseiro,
entre a reza da vigília
e a baba chorume
do pesadelo?

3 comentários:

Camila F. disse...

Tá um sol bem bonito aqui.
Vim te dar um olá :)

CASSIANE disse...

Gabriel,

Quantos encantos encontrei por aqui, puxei a cadeira de suas palavras, sentei-me por alguns minutos a fim de apreciar a força e a delicadeza com a qual você veste suas letras.

Abraços
Cassi

Gabriel Gómez disse...

Oi Camila... Muito bom você por aqui novamente... Que nem o sol...

Cassiane... As respostas ficam vermelhas que nem nós? Obrigado! Espero que a cadeira esteja sempre a altura do teu repouso...
Abraços... (prometo visitar também teu encantamento)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails