ESCRITOS DO GABRIEL

(Tentar que nossas palavras sejam, através de nós ou, quiçá, apesar de nós.
Meus textos, meus rascunhos com erros... )



"Então, um dia comecei a escrever, sem saber que estava me escravizando para o resto da vida a um senhor nobre, mas impiedoso. Quando Deus nos dá um dom, também dá um chicote – e esse chicote se destina exclusivamente à nossa autoflagelação."

Introdução do livro Música para Camaleões, de Truman Capote.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Origami

Pega o papel e
desfaz este origami
onde a figura era outra.
Alisa,
tenta abrandar as lembranças
das dobras, dos vincos
na sua pele amassada.
Era para voar ou simples
forma decorativa?
Não importa. Aplana bem seu contorno
abre e cura feridas,
pinta algumas cores,
desenha com nova tinta,
segura-o nas tuas mãos
e apaga esta quase nada
como se não fosse
nada
este papel.

3 comentários:

Colecionadora de Silêncios disse...

Gabriel, Poeta querido!

Que sensibilidade maravilhosa vc tem!

Eu fico, deveras, encantada com os seus escritos, pois encontro muito de mim neles e essa identificação toca tão fundo a minha alma que sempre saio daqui cheia de mim ou com saudades de algo que fui ou com esperanças de um dia ser... enfim, vc é incrível!

Eu ainda quero fazer uma homenagem a vc lá no meu espaço, posso?

Escolher alguns de seus poemas e publicá-los lá. Se me der essa honra, claro.

Um grande abraço. :)

Gabriel Gómez disse...

Será uma grande honra poder estar com meus poemas no teu blog...
Obrigado por tanto carinho e palavras...
Estou a tua disposição.
Outro grande abraço!

Anônimo disse...

Eu também já fiz uma coletânea daqueles que mais gosto.
Difícil é escolher apenas um, ou dois, ou três...
Difícil é escolher!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails