ESCRITOS DO GABRIEL

(Tentar que nossas palavras sejam, através de nós ou, quiçá, apesar de nós.
Meus textos, meus rascunhos com erros... )



"Então, um dia comecei a escrever, sem saber que estava me escravizando para o resto da vida a um senhor nobre, mas impiedoso. Quando Deus nos dá um dom, também dá um chicote – e esse chicote se destina exclusivamente à nossa autoflagelação."

Introdução do livro Música para Camaleões, de Truman Capote.

sábado, 6 de novembro de 2010

Assim apreendemos a linguagem

Não queria ir-me.
Mas
encheu-me os pés
de chão
de partida.
E até empurrou
um verbo
manchado de silêncio.


Caminhei a contrapelo
com um passo vazio
de não sei, quem sabe,
pode ser.

Pássaros fugiram
por temor ao céu.

A escada sempre tem
mais degraus
nessa hora;


e as vozes
mais frases,
folhas mortas
que estacionam fora
de toda fala,
que não ouvi e
que agora leio
do outro lado do olhar.

9 comentários:

Regina Carvalho disse...

O outro lado do olhar é semrpe a forma mais correta de ler, mesmo quando doi... E que foto mais linda, Gabriel. AMEI o poema,AMEI a foto!
bj, bom findis.

Cassandra disse...

Dogmático. Parece habitar um outro mundo, aquele que não é visto ou palpável, o mundo das pressuposições e dos fundamentos do conhecimento. Parece estar realmente num quarto escuro à procura de um gato preto, pois muitas vezes esse fundamento ou essa raiz não se encontra visível.
Thaumazéin?
Beijo.

Gabriel Gómez disse...

Regininha... é sempre bom poder estar neste e sentir-se que podemos compartilhar do "outro" lado... Obrigado!

Cassandra... O bom da literatura é sempre não ser igual o entendimento de todos na sua leitura... Existe um "aviso" no começo do Blog sobre o espanto... Existe algum outro inicio para a contemplação? Para entender um pouco aquilo que está em volta? Isso pode ser feito de palavras?
O poema pode ser encarado desde um ponto de vista cotidiano, como uma simples discussão, até uma passagem para “outro plano” deste espanto...
Beijo!

Colecionadora de Silêncios disse...

Nossa, Gabriel...

Ás vezes é difícil comentar os seus poemas, sabe? rs

Vc me deixa sem palavras!

E acabo ficando mesmo repetitiva... pq seus versos são magníficos! Eu amo a forma com que vc se expressa, as metáforas e as imagens que vc nos presenteia é algo surpreendentemente incrível!

Obrigada, querido, por nos proporcionar essas belas viagens!
Beijos

Gabriel Gómez disse...

Patrícia... Obrigado pela tua generosidade... Palavras reveladas da tua coleção de silêncios... Sempre juntando do melhor.
A complexidade está em nossa percepção do simples... Desordenando a escrita, de extravasar o dizer... A viagem é tua, minha, nossa...
É sempre muito bom te ver (ler) por aqui e por lá.
Beijo!

Anônimo disse...

Nossa Gabriel!
Adianta mais elogios?
Saiba então que vc está ótimo na sua escrita!
Queremos sempre mais desta poesia do outro lado.
Bj.

Í.ta** disse...

ótima ideia, gabriel!

vou fazer mais vezes, sim. te aviso, e colocamos teus livros na roda :)

sempre bom passar por aqui!

aquele abraço!

nydia bonetti disse...

Tua poesia é genial, Gabriel. E teu blog muito especial. Tenho andado em falta com muita gente, infelizmente. Posto meus poemas e é tudo que tenho conseguido. Um período complicado, mas já, já estou voltando e coloco as leituras em dia. Nem pode imaginar quanto a poesia se tornou essencial pra mim... Fico muito feliz em tê-lo como leitor.:) Abraço grande, Nydia.

Gabriel Gómez disse...

Nydia... Entendo muito bem. Primeiro começa como uma forma de rascunho escrever um blog... Logo, logo é quase obrigação, responsabilidade por atualizar... Quando menos esperamos se transforma em necessidade, e se torna essencial, como muito bem colocas.
Apareça sempre!
Obrigado mutuo.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails