ESCRITOS DO GABRIEL

(Tentar que nossas palavras sejam, através de nós ou, quiçá, apesar de nós.
Meus textos, meus rascunhos com erros... )



"Então, um dia comecei a escrever, sem saber que estava me escravizando para o resto da vida a um senhor nobre, mas impiedoso. Quando Deus nos dá um dom, também dá um chicote – e esse chicote se destina exclusivamente à nossa autoflagelação."

Introdução do livro Música para Camaleões, de Truman Capote.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

É amanhã


"Llega un día en que la poesía se hace sin lenguaje, día en que se convocan los grandes y pequeños deseos diseminados en los versos, reunidos de súbito en dos ojos, los mismos que tanto alababa en la frenética ausencia de la página en blanco".
Alejandra Pizarnik
Fragmento de "Pequenos Poemas em Prosa".
Publicado em "La Nación", Buenos Aires (21 de março, 1965).

"Câmera-verso é uma coleção que procura a fotografia das palavras, a essência imagética. Para Blanchot, construir imagens é organizar as formas sob o fascínio, mas também pode ser uma maneira de restaurar o domínio da linguagem, pois "a imagem agora se deixa ouvir" como acredita Ludwig Zeller.
O poeta argentino Gabriel Gómez abre a coleção com seus paradoxos sobre o silêncio, e reconduz a conversa infinita sobre as palavras e seus reflexos, neste espelho de muitas faces que chamam de poesia.
"

Introdução do livro "Cerimônias do Silêncio". Lançamento: quinta-feira 8 de abril, na Livraria "Livros & Livros" - Florianópolis.

2 comentários:

Í.ta** disse...

aÊ, gabriel.

até amanhã, pois sim!

abraço!

Gabriel Gómez disse...

Será muito bom ver por lá. Vamos invadir o silêncio na capital! Abraço e até.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails