ESCRITOS DO GABRIEL

(Tentar que nossas palavras sejam, através de nós ou, quiçá, apesar de nós.
Meus textos, meus rascunhos com erros... )



"Então, um dia comecei a escrever, sem saber que estava me escravizando para o resto da vida a um senhor nobre, mas impiedoso. Quando Deus nos dá um dom, também dá um chicote – e esse chicote se destina exclusivamente à nossa autoflagelação."

Introdução do livro Música para Camaleões, de Truman Capote.

sábado, 21 de novembro de 2009

Cerimônias do Silêncio (15)

Disse

Disse que seu silêncio
era em preto e branco.
Que as cores se perderam
nas palavras que esfregou,
sem alvejante, encardidas.
Que apagou o som da voz
aos poucos, como forma de grito.
Que já não ouve o que cala
e que se confessa por olhares,
que não tem lugar na boca.
E tudo isso
disse,

na continuidade do seu silêncio.

2 comentários:

Í.ta** disse...

gosto dos teus versos.

quando sai um livro de poemas?

:)

grande abraço.

Gabriel Gómez disse...

Parece já estar adivinhando... O próximo é de poemas e nosso amigo Carlos já está começando a trabalhar nele... Aguardemos pois. Obrigado e um abraço!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails